quarta-feira, 22 de abril de 2015

Carlota Pereira de Queiroz: A primeira Deputada Federal do Brasil


Carlota Pereira de Queiroz (1892-1982), primeira mulher brasileira a ocupar o cargo de Deputada Federal no Brasil, eleita pelo Estado de São Paulo em 3 de maio de 1933, pela “Chapa Única por São Paulo Unido!”. Foi também a única mulher a assinar a Constituição de 1934, ao lado dos outros 252 constituintes, todos homens. Sua trajetória foi marcada pela grande importância dada por ela para que os anseios femininos pudessem chegar ao Congresso Nacional. (SCHPUN, 1999).

Carlota ingressou como membro titular da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo, atualmente denominada Academia de Medicina de São Paulo, em 1º de Abril de 1941. Pertenceu também a Association Française pour l'Étude du Cancer, Academia Nacional de Medicina de Buenos Aires e em 1942, se tornou a primeira médica honorária da Academia Nacional de Medicina. (BEGLIOMINI, 1941).Em 1932 já dirigia o Departamento de Assistência aos Feridos (DAF) e é com esta reputação e seu prestígio perante as instituições filantrópicas que Carlota, em 30 de Março de 1933, é indicada pela Associação Cívica Feminina (ACF) para compor a Chapa Única por São Paulo Unido. (SCHPUN, 1999).
Como parlamentar, Carlota lutou pela defesa dos direitos da mulher, pelo fim da miséria e pelos direitos das crianças, especialmente aquelas abandonadas. Trabalhou também com a finalidade de promover melhorias educacionais, criando o primeiro projeto de serviços sociais no Brasil. Quando integrou a Comissão de Saude e Educação, seus trabalhos eram destinados a alfabetização e a assistência social. (BEGLIOMINI, 1941).
Carlota foi ainda responsável pela emenda que tornou viável a criação da Casa do Jornaleiro e o Laboratório de Biologia Infantil, redundando no “primeiro decreto brasileiro que obrigava a destinação de verbas públicas para o atendimento da miséria e de todos os problemas dela derivados.” Além disso, ela também reivindicava melhorias para as mulheres no Brasil, advogando também igualdade social, propostas presentes nos diversos artigos em que publicou. (BEGLIOMINI, 1941).
A importância e as conquistas desta mulher para os direitos femininos se refletem atualmente nas diversas homenagens dedicadas a Carlota. Ela é honrada como patronese da cadeira 71 da Academia de Medicina de São Paulo, possui um monumento em sua homenagem na Praça Califórnia, em São Paulo, no bairro Pinheiros; tem seu nome em uma avenida no Distrito de Socorro, Zona Sul da cidade e também a uma Escola Municipal de Educação Infantil, na Zona Leste. É também honrada com uma rua em seu nime no bairro Cajuru, em Curitiba (PR). (BEGLIOMINI, 1941).

Bibliografia:

BEGLIOMINI, Helio. Carlota Pereira de Queiroz. 1941. Disponível em:<Bibliografia I>. Acesso em: 21 Abril. 2015.
SCHPUN, Mônica Raisa. Entre feminino e masculino:a identidade política de Carlota Pereira de Queiroz. 1999. IV Congresso da BRASA – Brazilian Studies Association –, Washington D.C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário